Por que utilizar uma plataforma na nuvem?

Olá!

Tenho feito algumas visitas e participado de alguns eventos de startups e de grandes empresas juntamente com a Google e percebo que ainda existe uma dúvida: por que eu deveria considerar plataformas de desenvolvimento na nuvem? Quais os benefícios que eu posso ter? No fundo, eu sinto que todos perceberam que o caminho de cloud computing é inevitável, mas ainda falta algo concreto para de verdade “pular na piscina”. Bom, vou tentar sumarizar aqui as principais razões pelas quais as pessoas deveriam considerar uma plataforma em nuvem nas suas novas iniciativas.

[1] Entregar valor MUITO mais rápido

Trabalhando para a CI&T no projeto da campanha de marketing da Copa do Mundo 2014 para a Coca-cola, em 3 meses saímos da assinatura do contrato para a entrega da primeira versão do sistema que capturava, moderava e armazenava, com consentimento do usuário (feito de forma automática), imagens de redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) para bater o recorde do maior mosaico de fotos do mundo. Essa campanha global capturou milhões de imagens por todo o mundo. Usamos o Google App Engine nesse projeto. Já prestei serviço para empresas que demorava mais tempo do que isso apenas para ter um servidor disponível. Ao usar uma arquitetura padrão, uma plataforma que já lida com escalabilidade, alta disponibilidade, replicação de dados etc de maneira nativa, a conversa é “o que vamos construir?” desde o primeiro dia de projeto.

[2] Inovar com novas capacidades para suas aplicações

Antes você não podia armazenar todos os cliques do usuário para entender melhor a usabilidade do seu sistema e a jornada do seu consumidor? Não conseguia juntar o máximo de informações possível e processá-las em tempo real para extrair insights? Era muito complicado ter sistemas com atualizações de UI em tempo real para gerar experiências incríveis como os grandes produtos digitais como Uber e What’s App entregam hoje em dia? Hoje é possível utilizar produtos como Firebase e plataformas de Big Data como a da Google para adicionar essas capacidades às suas aplicações e se destacar no meio da multidão. O que antes era muito caro do ponto de vista de infraestrutura ou de pessoas, agora está a um clique de distância da sua empresa.

[3] Ser mais leve

Os americanos gostam de usar a expressão “travel light”, ou seja, viajar com poucas malas, carregar menos fardo. Como você vai conseguir inovar e usar tecnologia para diferenciar o negócio da sua empresa se ainda precisa tomar conta de servidores, middleware, services packs, infraestrutura etc? Não é aí que está o diferencial do seu negócio correto? Fique mais “leve”, deixe que empresas como a Google cuidem dessa parte para você. Você provavelmente vai estar mais seguro (em melhores mãos nesses quesitos) e certamente com a cabeça, energia e foco em fazer o melhor uso possível disso para ganhar mercado.

[4] Reduzir custos

Deixei como o último item de propósito, pois ainda vejo que mentalmente é o primeiro item na cabeça de muitos. É verdade, você pode sim diminuir custos. Vai depender de investimentos já feitos, contratos com datacenters atuais, tipo de sistemas que você quer manter na nuvem, se vai haver alguma redundância em algum momento etc, mas provavelmente haverá redução de custos. Para startups, é uma decisão óbvia a nuvem por esse motivo aqui, para grandes empresas nem tanto, pois a economia de infraestrutura pode não ser suficiente para romper a inércia de paradigmas atuais. Nesse caso, sugiro uma reflexão sobre os outros temas. Aqui a discussão é de “onde” rodar o meu sistema: local, nuvem privada ou uma IaaS em nuvem pública, tudo commodity ao meu ver. Lembre-se que as plataformas de nuvem oferecem muito mais do que isso com seus serviços gerenciados.

No próximo post vou falar do “como” ir para a nuvem, principalmente carregando um legado nas costas, situação certamente comum em 100% das empresas médias e grandes. Até lá!

Abraços!